Caso Eike é transferido para novo juiz e bens são devolvidos

03/03/2015 12:54

Juiz Flávio Roberto de Souza foi afastado após ter sido flagrado dirigindo Porshe do ex-bilionário. Caso será encaminhado à 10ª Vara Criminal do RJ

Eike Batista, participa de audiência no Tribunal do Júri da Justiça Federal no Rio de Janeiro. O ex-bilionário está sendo julgado por manipulação de mercado e uso indevido de informação privilegiada - 18/11/2014
O caso do empresário será julgado pelo juiz Marcelo Luzio Marques Araújo na 10ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro(Marcelo Sayão/EFE)

Após a polêmica envolvendo a guarda dos bens de Eike Batista, o Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região redistribuiu na segunda-feira os processos criminais contra o empresário. Os autos foram transferidos da 3ª Vara Federal Criminal para a 10ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, cujo titular é o juiz Marcelo Luzio Marques Araújo.

A medida atendeu a uma determinação da ministra Nancy Andrighi, corregedora nacional de Justiça, que na última quinta-feira determinou o afastamento do juiz titular da 3ª Vara Criminal, Flávio Roberto de Souza, do caso. A decisão foi tomada após o magistrado ter sido flagrado dirigindo o Porshe do ex-bilionário.

Os bens apreendidos e levados para o condomínio de Souza foram devolvidos aos seus proprietários, que permanecerão como fiéis depositários dos pertences. O piano voltou para a casa de Eike e uma Range Rover teve a guarda devolvida ao filho mais velho do empresário, Thor Batista.

O TRF informou que os demais automóveis apreendidos permanecerão no pátio da Justiça Federal. Outros bens como dinheiro, joias e outros objetos foram destinados à guarda do Banco Central (BC) e da Caixa Econômica Federal.

(Com Estadão Conteúdo)

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!