CURAÇÁ: Reassentados do Projeto Pedra Branca ocupam sede da Prefeitura (fotos)

03/02/2014 20:13

 

Grande Rio FM
 
Milhares trabalhadores e trabalhadoras rurais, reassentadosas no projetos de Irrigação Pedra Branca localizado no município de Curaça na Bahia ocuparam na madrugada desta segunda-feira (03), a sede da Prefeitura.
 
Com a ocupação, os manifestantes querem que o prefeito do município Carlinhos Brandão anule o convênio de numero CV-I-92.2013.4350.00, no valor de R$ 4.151.675,70 sem o conhecimento dos reassentados, sem nenhuma informação a respeito e sem nenhuma discussão, de maneira e atitudes irresponsável e sem nenhum respeito fere a vontade do povo das agrovilas.
 
Em um acordo formado entre a Chesf e os trabalhadores e trabalhadoras no ano de 1986 garantia terra por terra e também as condições para a sobrevivência das famílias. Fato é, que o acordo ainda não foi cumprido completamente pela CHESF deixando pendências com consequências grave.
 
Além destas, há no Ministério da Justiça a reeinvindicação da Tribo indígena Tumbalálá pelas terras do Projeto Pedra Branca serem pertencentes a tribo e como garante a Constituição Brasileira seus direitos em algum momento serão legitimados. A CHESF celebrou convênio de emancipação com todos os municípios do reassentamento, inclusive com município de Abaré (BA), faltando apenas Curaçá.
 
A CHESF antes já havia tentado realizar a emancipação do Projeto Pedra Branca, mas os reassentados não concordavam por conta das pendências do acordo e também pelo processo de demarcação da área indígena, que está em andamento.
 
Os agricultores garantem que a ocupação e pacífica e só desocupam a sede da Prefeitura após ouvir o Prefeito Carlinhos Brandão e a CHESF e fazer com que ele o prefeito devolva o recurso já recebido e anule o convenio caso o contrario as lideranças garantem que só desocupam a prefeitura após a anulação do convênio. 
 
 
 
 
 

 
 
 

 

www.chorrochoonline.com

CONECTADO COM VOCÊ


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!