Encontro de Capoeira Angola movimenta Centro Histórico

19/01/2016 23:46

Capoeiristas de várias partes do Brasil e do mundo participam, até o próximo sábado (23), do 27° Encontro Internacional de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos do Mestre Curió, no Centro Histórico de Salvador. O evento é realizado com apoio do Governo do Estado, por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), órgão vinculado à Secretaria de Cultura (Secult).

Apoiadores, mestres de capoeira, adeptos, artistas e representantes do movimento negro participaram da abertura do encontro, no início da noite desta terça-feira (19), no Forte da Capoeira, localizado no bairro do Santo Antônio Além do Carmo. A Capoeira de Angola é representada por diferentes manifestações culturais que incluem dança, música, teatro, a palavra cantada e a ética.

De acordo com Jaime Martins dos Santos, o Mestre Curió, idealizador do evento, além das oficinas oferecidas no forte, uma série de atividades vão ocorrer em diversos pontos do Centro Histórico, como as rodas de capoeira. “Quero convidar toda a comunidade para ver um pouco da nossa história. A capoeira é a história de um povo sofrido, que está aqui para nos valorizar, tirar as crianças da violência [...] para não irem para as drogas”.

Significado especial

Do município de Juiz de Fora (MG) e um dos milhares de discípulos do Mestre Curió no mundo, Pedro Augusto Freitas – conhecido por Caramujo - fez questão de viajar até Salvador para ajudar nos preparativos do encontro realizado desde 1987. “O que me motiva estar todos os anos aqui é poder [ficar] perto do meu mestre aprendendo. Por não morar em Salvador, toda oportunidade que tenho de estar com ele é muito importante".

O mestre Edvaldo da Cruz, do Grupo de Capoeira Angola, com sede no distrito de Arembepe, município de Camaçari, também participou do evento. “A abertura foi muito boa. Cada um pôde falar do seu sentimento [pela capoeira]. Foi uma coisa amorosa. Principalmente [para] os iniciantes, os que [desejam] aprender, com certeza foi valioso".

Diretora do CCPI, Arany Santana disse que o Forte da Capoeira é um espaço mantido pelo Governo do Estado. Para ela, a realização de um evento no Centro Histórico, que valoriza e promove a capoeira, tem significado especial. “A capoeira é patrimônio da humanidade, uma manifestação cultural de resistência da população negra. É muito importante o poder público apoiar este tipo de iniciativa”.

Segundo o Mestre Curió, o evento é aberto aos visitantes. Para participar da programação completa, que inclui todas as oficinas e palestras, é preciso pagar uma taxa. Informações sobre o valor da inscrição, horários e locais das atividades podem ser obtidas pelo telefone (71) 3117-6073.

 

www.chorrochoonline.com

Informação entretenimento cultura e política

Fotos: Amanda Oliveira/GOVBA
 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!