Ex-travesti, pastor que hoje é casado diz já ter recebido ameaças de morte

22/01/2016 18:46
 (Foto: G1)

 

 

 

 

 

 

O pastor evangélico Joide Miranda, de 47 anos, que até os 26 era travesti, alega que ainda sofre preconceito por defender uma "restauração sexual". Casado, ele e a mulher ajudam pessoas que decidem deixar o que chamam de 'estado de homossexualidade'. Entre as ofensas recebidas, uma ameaça de morte já foi direcionada aos missionários na internet.

Entre os relatos da hostilidade que sofreu, o pastor contou que dois homens chegaram a persegui-lo nas igrejas durante as pregações. Pela internet, ativistas da causa gay chegaram a ameaçá-lo de morte, segundo o pastor, que hoje dá palestras pelo país.

"A mensagem dizia que meus dias estavam contados e que eu seria destruído", lembrou. As ofensas nunca partiram para algo mais sério. Porém, as mensagens ficaram arquivadas, caso eles precisassem registrar um boletim de ocorrências.

"Os homossexuais são pessoas maravilhosas, profissionais excelentes e não gostam de parada gay e exposição. Os ativistas gays e que agridem e nos chamam de homofóbicos e fundamentalistas", declarou.

Para Joide, as ofensas não têm fundamento, já que ele prega a igualdade. "Não maltrato ninguém. O meu discurso é para mostrar que os homossexuais são pessoas iguais a todas as outras", afirmou o pastor.

Ainda assim, ele disse saber do preconceito dentro e fora das igrejas. Para ele, a maioria das pessoas ficam desconfortáveis perto de homossexuais. "Sei que se um travesti  sentar ao lado de uma pessoa na igreja ela vai se incomodar. E não só ali. Se você ver um gay bem 'pintoso' no shopping, as pessoas não acham normal", pontuou.

Joide Miranda é casado e tem um filho (Foto: André Souza/ G1)Joide Miranda é casado e tem um filho (Foto: André Souza/ G1)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A partir da experiência pessoal, Joide decidiu ajudar outras pessoas. Junto com a mulher, a missionária Édna Miranda, orienta e aconselha quem quer 'deixar de ser gay'. De acordo com o pastor, o trabalho é sempre de receber e dialogar com as pessoas. "Se eles quiserem sair dessa vida, mostramos que tem uma luz. Porém, que não quiser não podemos fazer nada", explicou.

Édna contou que os 'pedidos de socorro' são tantos, que nem sempre eles conseguem atender todas as pessoas. "Existe uma multidão, mas elas não são mostradas", disse, completando, que os gays que saem do 'estado de homossexualidade' são recriminados. "Se você quiser continuar sendo gay tudo bem. Caso contrário, você está fora", afirmou.

Livro conta detalhes da época em que pastor era travesti (Foto: Reprodução)Livro conta detalhes da época em que pastor era travesti (Foto: Reprodução)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

'A intimidade de um ex-travesti'
Joide lançou, em 2013, o livro 'A intimidade de um ex-travesti', em que conta sua trajetória desde a infância até se tornar evangélico. Na obra, ele revela segredos nunca revelados.

É no livro que o pastor relata a preferência desde pequeno por brincar com as meninas e isso causava estranhamento nos garotos da mesma idade. "Lembro-me que nessa fase, passei a gostar muito de boneca e de casinha com minha irmã Rita", diz um trecho.

Joide morou em vários países, entre eles na França. (Foto: Arquivo pessoal)Joide morou em vários países, entre eles na França
(Foto: Arquivo pessoal)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Também no livro, Joide revela ter sido abusado sexualmente por um vizinho ao seis anos de idade.  "As iscas para me atrair eram balas, chocolates e algum trocados [...] Nosso encontros se repetiram outras vezes, sempre de maneira muito discreta e sutil", conta, em outro trecho do livro.

Em outras páginas ele narra toda a história dele. A saída de Cuiabá, a temporada no Rio de Janeiro e em São Paulo, os implantes de silicone, a prostituição, a chegada na Europa, o diagnóstico de HIV, o encontro com Deus e o casamento são contados no livro.

"Comecei a ganhar dinheiro e desejei fazer umas 'experiências' na minha aparência. Fiquei sabendo que em Curitiba havia um travesti que realizava excelentes aplicações de silicone que delineavam o corpo das 'monas'. Foram 4,5 litros de silicone industrial", relatou. Depois de se tornar religioso, ele retirou as próteses de silicone dos seios e o silicone industrializado dos quadris.

Em outro momento, conta como descobriu que era soropositivo. "Fui denunciado por traficar pessoas para a prostituição por um travesti que veio do Brasil. Levaram-nos para o Presídio de Segurança Máxima San Vitorio. Chegando lá, cumprimos todos os procedimentos. Um deles era o teste de HIV. O resultado do meu teste foi positivo", diz.

Joide se casou, mas diz que casamento não pode servir de fuga. (Foto: Arquivo pessoal)Joide se casou, mas diz que casamento não pode
servir de fuga (Foto: Arquivo pessoal)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

'Pedidos de socorro'
Os missionários dizem receber incontáveis pedidos de ajuda. Joide e Édna já chegaram a receber e-mails e telefonemas de pessoas da Ailemanha, Japão e França. Segundo eles, os contatos mais frequentes são de pessoas que querem voltar a serem heterossexuais. No entanto, grande parte dos pedidos também e feita por pais e mães que não concordam com a sexualidade dos filhos.

Entre os contatos recentes foi de uma mãe que havia descoberto a bissexualidade da filha e que não imaginava ouvir a afirmação da própria filha. "Ela me disse: 'Ela é boa filha, estudante de direito e tem futuro promissor. Meu mundo caiu. Creio num Deus todo poderoso, pois afirmo que ela está sob possessão maligna'".

Segundo o pastor é aí que começa seu trabalho. "São pais e mães inexperientes. Assim eu explico que atitudes assim só vão gerar ódio e revolta", disse Joide.

Casamento
Casado há 17 anos, e pai de Pedro, de quatro anos, Joide diz que hoje vive em paz e que se sente realizado. "Amo minha casa, meu filho. Tenho prazer no que faço e me dedico fielmente à pregação", afirmou.

Os dois se conheceram em 1992 durante um depoimento de Joide na igreja. Convidada por uma amiga, mesmo com receio, ela foi ouvir as histórias "do ex-travesti recém-convertido". Na época, ela diz que pedia a Deus que um bom homem entrasse em sua. Porém, nunca imaginou que iria se casar com um ex-gay.

"Se Deus me perguntasse naquela época se queria ter um ex-travesti como marido, é claro que eu diria não, mas fui surpreendida e acreditei. Hoje, não sou casada com um gay, nem com um travesti, mas com um heterossexual restaurado por Deus", declarou.

A mãe de Joide, Odete Miranda, foi a primeira a acreditar no filho e disse ter orado muito para a restauração sexual dele. "Deus não faz nada que não seja perfeito. E Ele fez meu filho homem e ele tinha que virar homem", afirmou.

 

www.chorrochoonline.com

Fonte: Sertão mania

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!