Governador Rui Costa destaca produtos fabricados por cooperativa do norte baiano: “Orgulho”

11/01/2018 09:54

A presidente da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), Denise Cardoso, participou na última terça-feira (9) do Programa ‘Papo Correria’, com o governador da Bahia, Rui Costa. Durante a conversa descontraída, veiculada ao vivo na página oficial do Facebook do governador, Denise apresentou alguns produtos fabricados pela cooperativa e destacou as atividades desenvolvidas na região.

Na oportunidade, ela também enalteceu a importância das ações do governo estadual no fortalecimento das atividades da agricultura familiar, a exemplo da agroindústria de frutos da cooperativa, ampliada recentemente com investimentos do Governo do Estado, por meio do Pró-Semiárido, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Só nos últimos dois anos, por meio do projeto, foram investidos quase R$ 4 milhões na construção da unidade agroindustrial polivalente para o beneficiamento de frutas, que com a implantação da agroindústria, a produção que era de 200 toneladas ao ano, teve a capacidade ampliada para 800 toneladas/ano.

“Os investimentos realizados pelo Governo da Bahia impactam na melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares em todos os sentidos, não só pelo fato de gerarem trabalho e renda para as famílias, mas também na formação dos agricultores e acesso deles a políticas públicas”, destacou Denise.

“Orgulho”

Já Rui Costa comentou sobre o orgulho de ver uma filha de agricultor que cultivava umbu, formada e atuando como presidente de uma cooperativa que fabrica produtos de qualidade.

Estou muito orgulhoso de vocês e o povo da Bahia tem um orgulho enorme desse trabalho. Nós estamos transformando, graças a Deus, com a raça, determinação, coragem, criatividade e competência do nosso povo, que gosta de trabalhar, os nossos produtos, cada vez mais em produtos com alto padrão e alto valor agregado que vão alcançando o mundo inteiro. Essa é a nossa gente, é a nossa Bahia. É evidente que é bom vender o umbu in natura, bom para a gente consumir, fazer o suco, mas se a gente quer comercializar para outros centros urbanos, para o resto do mundo, nós temos que garantir o beneficiamento, garantir esse alto padrão de qualidade para que os produtos acessem vários mercados do mundo”, afirmou. As informações são da Coopercuc. (Foto: Camila Souza/GOVBA)


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!