O BRASIL PERDE UM DOS MAIORES BRASILEIROS DE TODOS OS TEMPOS

05/12/2012 23:19

O arquiteto Oscar Niemeyer morreu no Rio de Janeiro, aos 104 anos, no dia 5 de dezembro de 2012. Ele estava internado desde 2 de novembro, no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul.

 

Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares. Nascido no Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 1907 Faleceu hoje 05 de Dezembro de 2012, foi o arquiteto brasileiro de nome mais influente na arquitetura moderna. Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado, e por esse motivo teve grande fama nacional e internacional desde a decada de 1940. Seus trabalhos mais conhecidos são os edifícios públicos que projetou para a cidade de Brasília, embora possua um grande corpo de trabalho desde sua graduação pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1934.

Biografia de Oscar Niemeyer:

Oscar Niemeyer (1907-2012) foi arquiteto brasileiro. Responsável pelo planejamento arquitetônico de Brasília, capital do Brasil. Possui uma extensa obra e é um dos maiores representantes da arquitetura moderna da história. Tem como característica principal o uso do concreto armado para as suas construções, com seu estilo inconfundível.

Oscar Niemeyer (1907-2012) nasceu no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, no dia 15 de dezembro de 1907. Filho de funcionário público. Em 1928, casou com Anita Baldo, filha de imigrantes italianos. Em 1929, entrou para a Escola Nacional de Belas Artes, e formou-se engenheiro arquiteto, em 1934. Depois foi trabalhar no escritório de Lúcio Costa, arquiteto famoso na época. Ali, aprendeu os segredos da profissão.

Seu trabalho inaugurado em 1938, a "Obra do Terço", edifício localizado no Rio de Janeiro, já era notada os traços e estilo de Niemeyer, herdado do colega de profissão, Le Corbusier: o uso dos pilotis, da planta livre, o terraço jardim e a fachada livre. Em 1943, foi inaugurado o prédio do Ministério da Educação e Saúde com azulejos do pintor Cândido Portinari e os jardins projetados por Burle Marx. Sendo assim, esse prédio é uma síntese da arquitetura moderna.

Em 1940, Niemeyer teve a oportunidade de conhecer, o então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek. O arquiteto foi convidado pelo político para projetar uma área no centro da cidade. Daí, Niemeyer projetou um conjunto de edificações que é conhecida como Pampulha. A partir desta obra, pode-se notar o estilo de Niemeyer, pois os prédios da Pampulha são sinuosos, ou seja, uma espécie de movimento de concreto, com maior fluidez.

Junto com Corbusier, fez parte da equipe que projetou a Sede das Nações Unidas, a ONU. Nesta época, já era conhecido como um dos maiores arquitetos do mundo.

O arquiteto ainda realizou obras como o prédio do Banco Nacional Imobiliário (BNI), ainda na década de 50, Casa Edmundo Cavanelas, em Petrópolis, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte.
Seu trabalho maior ainda estava por vir: a projeção arquitetônica para a construção da capital nacional- Brasília, em 1956, a convite do então eleito Presidente da República Juscelino Kubitschek.

Em 1958, Niemeyer executou o projeto arquitetônico, e Lúcio Costa, seu antigo patrão, elaborou a urbanização da cidade. Na construção de Brasília, destacam-se prédios como o do Palácio do Planalto, este inaugurado no dia 21 de abril de 1960, a Praça dos Três Poderes, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. São monumentos grandiosos de Niemeyer.

As ideias do ousado arquiteto não ficaram isentas de críticas. Seguidor da ideologia socialista criou Brasília para ser uma cidade, cujos prédios, teriam o objetivo de abrigar funcionários públicos de diversas camadas sociais, com construções extensas e arrojadas por demais. Na prática, a urbanização criada por Lúcio Costa não abrigou todas as pessoas que ali viviam, contradizendo os ideais socialistas. Por isso, arquitetos de outras correntes acusavam Niemeyer e Costa de abusar do artificialismo exagerado.

Com o golpe militar de 1964, Niemeyer foi exilado, pois comungava com as idéias comunistas. Porém, volta do exílio em 1979 e projeta monumentos importantes, como os prédios dos centros educacionais- CIEPS e o Sambódromo, ambos no Rio de Janeiro.

Oscar Niemeyer Ribeiro Soares Filho faleceu no Rio de Janeiro, no dia 5 de dezembro de 2012.

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!