POLÍTICA:PP ANALISA APOIO A LÍDICE DA MATA

01/12/2013 14:55

Após a confirmação do nome do secretário da Casa Civil, Rui Costa (PT), para a candidatura de governador, deve começar a ser fechada a equação em torno das outras vagas da chapa governista à sucessão. O Senado, conforme, já adiantado, estaria reservado para o vice-governador Otto Alencar. Por sua vez, a tendência é a disputa para ver quem entra na Vice, sendo cotados o PDT, do pré-candidato Marcelo Nilo, e o PP, dos deputados federais Mário Negromonte e João Leão.

Diante da conjuntura oficialmente incerta, crescem os rumores sobre a possibilidade de uma das forças ser arregimentada pelo PSB, da senadora Lídice da Mata, pré-candidata ao Palácio de Ondina. Essa conversa intensificou com a visita, essa semana, de deputados do PP ao presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco e pré-candidato ao Palácio do Planalto, Eduardo Campos.

Após, o PDT ter sinalizado para a Tribuna que caso o partido não tenha espaço poderá avaliar outro cenário, o PP também estaria dando sinais de alerta com a maior aproximação com o líder socialista.

Apesar das lideranças negarem que haja conversação sobre parceria para as eleições de 2014, a visita a Campos pode ter lembrado a ausência de empecilhos para uma suposta aliança. Essa seria uma forma de mostrar ao governador Jaques Wagner (PT) que o PP quer ser privilegiado na composição. Liderança estadual do partido, Mário Negromonte minimizou o fato ao destacar que a visita dos parlamentares estaduais foi apenas para acertar a entrega do título de cidadão baiano ao gestor pernambucano. Negromonte aguarda uma conversa com Wagner, quando há chance de ser batido o martelo sobre a vaga do PP.

Presente na comitiva que esteve com Campos em Recife, o deputado Cacá Leão (PP) ratificou a informação de que a viagem foi para dialogar sobre a honraria a ser entregue na Assembleia Legislativa da Bahia. “Estivemos lá ano passado e ele nos convidou para nós o visitarmos em outra ocasião para conversarmos sobre a data”, disse. Estiveram em Recife, o deputado federal e futuro presidente do PP, João Leão, e o deputado estadual Ronaldo Carleto.

 “Claro que ele conversou conosco sobre as suas pretensões políticas, mas não houve convite (para uma parceria nas eleições). Inclusive ele disse que gostava muito do governador Jaques Wagner, pois, enquanto, outros do PT teriam criticado a atitude dele, o governador da Bahia tentou conciliar para que não houvesse o afastamento (do PSB da base do governo Dilma Rousseff)”, contou.

O deputado ressaltou a atuação do PP para integrar a chapa ao governo ao lado do PT. “Nós trabalhamos e acreditamos na palavra do governador, acreditamos na força política que estaremos na chapa majoritária. Nas 20 maiores cidades do Estado, nós temos 7 prefeituras”, disse, destacando o tamanho do PP no cenário estadual.

 

www.chorrochoonline.com

CONECTADO COM VOCÊ

Fonte: Tribuna


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!