PREFEITOS COBRAM AÇÕES DE SEGURANÇA NO INTERIOR DA BAHIA

16/07/2015 18:26

 

 
 
Cidades do interior com vida pacata e moradores dormindo com as portas de casa abertas é coisa do passado no interior da Bahia. Relatos de violência, assalto a bancos e tráfico de drogas foram feitos hoje (16/7) por prefeitos baianos que se reuniram em um seminário com o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e representantes das polícias Civil e Militar. O encontro organizado pela União dos Municípios da Bahia (UPB) teve como objetivo articular a cooperação entre estado e prefeituras no combate e prevenção de crimes.

 

 

 

O prefeito do município de Araci, que preside a comissão organizadora do evento classificou o seminário como um marco para o início de uma relação mais aberta e harmoniosa entre as estruturas de segurança pública e os municípios. “Esse diálogo vai se aprofundar nos próximos dias. Precisamos fazer com que essas reuniões ocorram de maneira regionalizada com a participação do comando local e de membros de conselhos, câmara de vereadores e sociedade civil”, apontou o gestor.

 

 
Silva neto explica que neste sentido, os Consórcios Públicos Intermunicipais serão acionados para avaliar a situação e peculiaridades de cada região, no intuito de traçar ações conjuntas que serão implementadas em conjunto com a SSP. Entre elas estão a interiorização do Programa Pacto pela Vida e a expansão do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) para todos os municípios da Bahia, em parceria com a Polícia Militar.
 
Durante o evento, o secretário Maurício Barbosa, prometeu ampliar o efetivo policial e convocar concursados para ocupar o cargo de delegado, vago em 120 municípios baianos. Barbosa falou da ampliação dos Centros Integrados de Comunicações (CICOM) de 12 para 22 e afirmou que estados do Nordeste sofreram muito com a entrada de drogas por terem uma “estrutura defasada”. “Estamos hoje correndo contra o tempo de acordo com as nossas possibilidades”. O titular da SSP apresentou ainda dados da redução do índice de criminalidade, que, enquanto na capital caiu 10,3%, no interior a queda foi de apenas 2,7%.
 
 
 
Delitos a Bancos
 
Outra preocupação dos gestores, o assalto e a explosão de agências e terminais bancários, segundo os prefeitos, têm feito moradores viajarem até 50km para sacar dinheiro, causando prejuízos ao comércio local. O assessor de Segurança Bancária da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Carlos Humberto Campos, compareceu ao seminário e disse que as instituições bancárias estão dispostas a arcar com projetos de monitoramento nos municípios baianos. “Nos foi solicitado e os presidentes dos bancos aprovam em consenso a liberação do recurso. A estratégia para a implantação é que ficará por conta do governo do estado”, afirmou Campos.
 
 
 
Atenciosamente,
 
Wilde Barreto – Jornalista SRTE/BA 3997
 
Coordenação de Comunicação
 
União dos Municípios da Bahia
 
www.upb.org.br

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!