Quadrilha comemorava crimes e planejava novos ataques a bancos, mas acabou presa após tiroteio com a Polícia Civil

25/06/2016 22:39
Sexta-Feira 24.6.2016 037
O clima era de festa e planejamento de ações criminosas em um sítio com piscina, churrasqueira, deck e muito espaço verde. Tratava-se de uma reunião de bandidos cearenses que se intitulam membros da facção criminosa paulista PCC (Primeiro Comando da Capital). Mas a Polícia Civil “estragou” tudo. Cercou o local, trocou tiros com os delinqüentes e dos quase 50 que ali estavam, 32 foram parar  na cadeia.
Este é o resumo da megaoperação de inteligência  realizada na noite desta quinta-feira (23) no Município de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), por policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), com o apoio da Unidade Tático Operacional (UTO), da Divisão Antissequestro (DAS).
Quando os policiais cercaram o sítio, acabaram sendo recebidos a tiros pelo numeroso grupo de delinqüentes, a maioria com extensa ficha criminal por crimes como assaltos, tráfico de drogas, roubos a bancos e assassinatos. Pelo menos, três dos 32 detidos na operação usavam tornozeleiras eletrônicas.  Alguns são foragidos de presídios.  No cerco, cerca de 15 conseguiram escapar.
Banco
No sítio, além dos bandidos, havia muita munição, diversas armas de fogo, motocicletas de alta cilindrada e vários automóveis. Tudo foi apreendido e levado para a sede da DRF. Todos os detidos acabaram autuados em flagrante por crimes de formação de quadrilha, porte ilegal de armas de fogo, além da tentativa de assassinato por terem atirado contra os policiais.
Conforme os delegados que comandaram a operação, além de comemorar a união em torno da criminalidade no Estado, os bandidos planejavam mais um assalto a banco, cujo alvo seria a cidade de Milhã, no sertão Central (a 300Km de Fortaleza).
Blog do Jornalista Fernando Ribeiro

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!