Destaque 2018 Rodelas: Categoria Secretario Marcos David

24/04/2018 19:03

Marcos David possui graduação em Engenharia Elétrica, especialista em Engenharia de Petróleo e Energia Eólica, foi professor do Instituto Federal de Sergipe (IFS) da área de elétrica, eletrônica e automação dos cursos técnicos de eletromecânica e construção civil e do curso Tecnólogo em Automação Industrial.

O mesmo foi Gerente Executivo de Administração, Operação e Manutenção (Elétrica, Mecânica, Hidráulica e Civil) dos Perímetros de Irrigação Apolônio Sales, Barreiras Bloco 01 e Bloco 02, em Petrolândia e Tacaratu - PE (Integrantes do Sistema Itaparica, Convênio CHESF/ CODEVASF). Possui cursos de Automação Elétrica Industrial com CLP e sistemas supervisórios, Instrumentação Industrial, Inversores de Frequência, Web Designer, CIPA, Eficiência Energética, processamento de água de coco, gestão de perímetros de irrigação, gestão de pessoas e instalação de agroindústrias.

Marcos David se destacou na região como Secretário de Agricultura do município de Rodelas - BA.

Várias foram às linhas de atuação do secretário, como a luta por melhorias nos Perímetros Irrigados do Sistema Itaparica BA/PE, sempre buscando recursos orçamentários para pagamentos dos salários dos funcionários das empresas de operação e manutenção e também por melhorias nas manutenções nas estações de bombeamentos dos perímetros irrigados.

Foi responsável pela criação do grupo político em defesa dos Perímetros Irrigados do Sistema Itaparica, onde uniram dez prefeitos, vários vereadores e deputados federais e estaduais da Bahia e Pernambuco com objetivo de dar força política ao movimento sendo inclusive, escolhido como coordenador do movimento.

Foi um dos autores da ação civil que tramita no Ministério Público Federal (MPF), onde denuncia a CHESF e CODEVASF pelo não cumprimento do acórdão do TCU 101/2013 e com audiência de conciliação agendada para o dia 08 de maio de 2018, com participação de diretores das duas empresas, Procuradora da República e do Juiz Federal.

Foi responsável pela escolha da Consórcio Agropecuário Indígena Tuxá no programa Bahia Produtiva para construção de uma unidade simplificada de água de coco, produção de fibras e mudas de coco com valor inicial de R$350.000,00.

Em pouco mais de um ano a frente da pasta, conseguiu eletrificação rural para diversas comunidades rurais alcançando mais de 20 km de extensão de rede para comunidades que viviam no escuro há décadas.

Iniciou o mais ousado programa de perfuração de poços da cidade dos últimos anos onde na primeira etapa foram perfurados dois poços e atendendo mais de 120 famílias, na segunda etapa serão perfurados mais três poços que juntos atenderão mais de 300 famílias.

Marcos David é um dos defensores da construção da Barragem do Carêta que beneficiará diretamente a população de Macururé e Chorrochó na Bahia. Segundo o secretário, com esta construção a região se tornaria a maior produtora de carne de bode do Brasil.

O mesmo foi um dos responsáveis pelo alerta apocalíptico da provável extinção da cultura do coco no Brasil. Para o secretário, esta é a luta mais importante e difícil que vem enfrentando. Em novembro de 2017, junto com o SINDCOCO e com apoio do Senador por Pernambuco Fernando Bezerra Coelho, conseguiram a codificação das importações que se chamam NCM – Nomenclatura Comum do Mercosul que foi de grande importância para o setor, depois dessa nomenclatura os produtores puderam ter uma noção mais exata da grandeza das importações de água de coco.

O mesmo é contra as importações de água de coco vinda do continente asiático, para o secretário, estas importações estão causando quebradeira nos produtores de coco de todo o Brasil e pleiteiam várias medidas protetivas pois o mesmo garante que o Brasil é auto-suficiente em produção de água de coco não havendo necessidade de importar o produto.

Outras ações que pleiteia é a aplicação de normas para as empresas que produzem água de coco a partir de concentrado de água de coco nacional e importada, diferenciando assim das empresas que produzem água de coco utilizando a matéria prima do coco in-natura. Para empresas que produzem água de coco reconstituída utilizando concentrado de água de coco, as empresas devem especificar nos rótulos “Néctar de coco” e as empresas que utilizam água de coco da própria fruta utilizar o nome “água de coco”, com isto os consumidores poderão comprar e escolher os produtos conforme as normas do direito do consumidor.

Outras ações com mesma importância para o setor da cadeia produtiva de coco é a aplicação de crédito presumido de ICMS para empresas que comprarem o coco verde do produtor brasileiro tornando-os mais competitivas.


 

Portanto, essas são as ações de forma resumida, do atual secretário de agricultura de Rodelas – BA.

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!