Índios ocupam UNEB em Paulo Afonso/Ba

06/11/2019 17:25
 
Estudantes indígenas da UNEB – Universidade Estadual da Bahia, ocuparam na tarde de hoje (06), o campus da instituição no município de Paulo Afonso.
 
Eles reclamam que seus pleitos estão deixando de ser atendidos pela Reitora da universidade.
 
Manifesto de repúdio 
 
Nós Professores e Professoras indígenas das regiões Norte e Oeste da Bahia, estudantes no curso de Licenciatura Intercultural em Educação Escolar Indígena - LICEEI na Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus VIII na Cidade de Paulo Afonso-BA, viemos a público Manifestar Repúdio a conduta racista, discriminadora com que o Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Educação do Estado (Secretário Jerônimo Rodrigues) e UNEB na pessoa do Reitor (José Bites de Carvalho) têm nos tratado enquanto profissionais da educação escolar indígena que representamos os interesses educacionais das seguintes etnias: Kiriri, Kaimbé, Kantaruré, Pankararé, Tuxá, Tumbalalá.
​O governo da Bahia criou a carreira de Professor Indígena, através da Lei 12.046/11 de 04 de janeiro de 2011, porém, resiste ao dialogar com a categoria que visa discutir com o Estado uma estratégia para assegurar a permanência destes profissionais nos cursos de licenciaturas intercultural indígena, promovidos pela Universidade do Estado na Bahia – UNEB. Na ausência de uma política estadual de formação superior para os profissionais da educação escolar indígena, as licenciaturas são consideradas por nós professores e professoras indígenas uma excelente oportunidade para a melhoria da qualidade da educação ofertada pelo Estado em nossas escolas indígenas, mas para que esse sonho venha a tornar-se realidade é preciso haver compromisso e investimento do Estado para garantir que os estudantes das licenciaturas consigam concluir seus cursos, para que finalmente possamos adquirir uma formação superior que melhore a nossa qualificação profissional e nos torne aptos a receber uma remuneração justa de acordo com a carga de trabalho desempenhamos conforme regulamenta a Lei 12.046/11.
​Com indignação manifestamos o nosso Repúdio e dizemos ao Secretário de Educação do Estado e ao Reitor da UNEB, Jerônimo e Bites que não iremos tolerar racismo institucional, que respeitem os povos originários, respeitem os povos indígenas do Norte e Oeste da Bahia. Exigimos em caráter de urgência uma agenda para tratar da pauta apresentada relacionada Licenciatura Intercultural em Educação Escolar Indígena.
 
Via Dimas Roque
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!